Logótipo e cabeçalho para a AEG

Para a Associaçom de Estudos Galegos, o Departamento de Desenho da Sacauntos pensou num logo que tentara incorporar nova simbologia a um campo tam aberto como o que a associaçom quer abarcar. Fazendo um simulacro de arqueologia estética começamos a ligar os trabalhos de Chamoso Lamas com algumhas das litografias de Jaime Quessada. Nas mesmas o comunista ourensam acrescentou em diferentes ilustraçons um símbolo que Chamoso Lamas identifica com o alto medievo suevo. Trata-se dumha linha bifurcada (em ocasions trifurcada) nos seus vértices e aparece insistentemente nas laudas da época referida. Quessada incorpora este símbolo de maneira destacada nas ilustraçons que tratam a época sueva e incluso no retrato de Benigno Andrade que protagoniza a capa da revista Kallaikia.

O resultado é umha iconizaçom deste “esquema” que pode lembrar, se se quer, à runa que nos fala da árvore de Odim da mitologia Germânica.

Umha vez decidido o símbolo e a cor do mesmo, a ideia diagonaliza-se para inferenciar a bandeira nacional. Assim chegamos às características finais do símbolo.

Para a parte tipográfica optamos por umha tipografia que se achega ao prescindível para nom restar protagonismo ao símbolo.

No caso da revista Kallaikia nom podemos assumir mais que o mérito do cabeçalho, tendo em conta que o resto é obra de Fernando Martins.

Trata-se exclusivamente de um trabalho tipográfico incorporando a cor do símbolo. Para esta fonte contamos com a inspiraçom da capa do livro da editorial Nike (fundada em 1927 por Joam Jesus Gonçalves e Arturo Cuadrado) Viaje y fin de don Frontan de Rafael Dieste. Na mesma o pai da estética galega, Carlos Maside, desenhou umha tipografia que foi adaptada para a nossa Kallaikia.

DSC_0004